A nova diretoria da Fecomércio tomará posse na sexta feira

Em por Ricardo Rosado
Atualizado em 29 de julho às 03:51


Na noite de 1º de agosto também tomará posse oficialmente a nova diretoria da Fecomércio RN, eleita no dia 16 de maio, para o período de 2014 a 2018.

A eleição ocorreu com chapa única, consensual, em votação unânime, e tem à frente os empresários Marcelo Fernandes de Queiroz (presidente) e Gilberto de Andrade Costa (1º Vice-presidente).

A posse documental foi realizada no dia 23 de julho último, na sede da entidade.

DIRETORIA

MARCELO FERNANDES DE QUEIROZ – Presidente

GILBERTO DE ANDRADE COSTA – 1º Vice-Presidente

LUIZ ANTONIO BESERRA LACERDA – 2º Vice-Presidente

JAIR URBANO DE QUEIROZ – 3º Vice-Presidente

GERALDO PAIVA DOS SANTOS JÚNIOR – 4º Vice-Presidente

GEORGE RAMALHO VIEIRA – 5º Vice-Presidente

ITAMAR MANSO MACIEL JÚNIOR – 6º Vice-Presidente

SERGIO ROBERTO DE MEDEIROS CIRNE – 7º Vice-Presidente

JOSÉ GERALDO DE MEDEIROS – 8º Vice-Presidente

ANTÔNIO FRANCISCO DE OLIVEIRA – 9º Vice-Presidente

FRANCISCO DE ASSIS BARBOSA – 10º Vice-Presidente

MÁRCIO DE OLIVEIRA MACÊDO – 11º Vice-Presidente

RAIMUNDO MARTINS DA SILVA – 12º Vice-Presidente

DIJOSETE VERÍSSIMO DA COSTA – 1º Secretário

JACIRATAN DAS GRAÇAS DE AGUIAR RAMOS FILHO – 2º Secretário

JOSÉ DE OLIVEIRA CABRAL FILHO – 1º Tesoureiro

LUZIA DIVA CUNHA DUTRA – 2º Tesoureiro

DIRETORES

EFETIVOS

MICHELSON XIMENES FORMIGA FROTA

HELDER DE MEDEIROS ARAÚJO

FRANCISCO DENERVAL DE SÁ

DEJALMA LEMOS DA SILVA

ORISMAR CARLOS DE ALMEIDA

DALTRO FREIRE DE PAIVA

FRANCISCO SEVERIANO DA CUNHA

VALDEMAR ANUNCIATO DA SILVEIRA

JOSÉ BEZERRA DE ARAÚJO

JOSÉ DE ANCHIETA FERNANDES

RENATO ALEXANDRE MACIEL GOMES NETTO

TARCÍLIO VIDAL FILHO

SCHIAVO DURVAL FERNANDES ÁLVARES

SUPLENTES

MARCOS AUGUSTO DA SILVA

EDUARDO DE OLIVERIA PATRÍCIO

JOSÉ ZENILDO DIAS CAMPOS

JOSÉ CARLOS LOPES DA SILVA

ALBE GARCIA DE OLIVEIRA

CECÍLIO FRANCISCO BARBOSA NETO

ERALDO EUDES DANÓBREGA DANTAS

MARCIO PINHEIRO DE SOUZA

EUGÊNIO RODRIGUES LUCIO

LUIZ EVÂNIO NOBRE LIRA

CONSELHO FISCAL

EFETIVOS

RONALD GURGEL

VICENTE DE PAULO AVELINO SOBRINHO

SÉRGIO ROBERTO DE MEDEIROS FREIRE

SUPLENTES

FRANCISCO NEY DA CUNHA

JOSÉ DE PAIVA TORRES

DORIAN BEZERRA DE SOUZA MORAIS

DELEGADOS REPRESENTANTES JUNTO À CNC

EFETIVOS

MARCELO FERNANDES DE QUEIROZ

MARCANTONI GADELHA DE SOUZA

SUPLENTES

GILBERTO DE ANDRADE COSTA

LUIZ ANTONIO BESERRA LACERDA


Fecomércio entregará o Mérito Jessé Freire

Em por Ricardo Rosado
Atualizado em 29 de julho às 03:49


A Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Rio Grande do Norte, realiza na próxima sexta-feira, 1º de agosto, a partir das 20h, no Boulevard Recepções, a posse oficial da sua nova diretoria, eleita para o quadriênio 2014/2018.

A noite também será marcada pela entrega do troféu Mérito Jessé Freire 2014 (Edição Especial dos 65 anos da Federação), e pela comemoração do Dia do Comerciante, ocorrido no dia 16 de julho.

O Mérito Jessé Freire é a mais importante comenda do comércio potiguar, e há 10 anos premia e reconhece o trabalho de personalidades dos segmentos de Comércio, Serviços e Turismo, que se destacaram no ano anterior.

São cinco agraciados, nas seguintes categorias: Flávio Rocha (Grupo Guararapes/Riachuelo), Empresário do Ano no Setor de Comércio; José Maria Figueiredo (Unifacex), Empresário do Ano no Setor de Serviços; Francisca de Assis Rosado, Empresária do Ano no Setor de Turismo (Harabello Turismo); Antonio Sales (Posto Novo Horizonte), Jovem Empresário; e Dorian Morais (Riograndense Distribuidora), Experiência Empresarial.

Fonte: Assessoria


Natal reunirá empresas distribuidoras de gás canalizado

Em por Ricardo Rosado
Atualizado em 28 de julho às 11:40


 

A Associação Brasileira das Empresas Distribuidoras de Gás Canalizado (ABEGÁS) realizará, em 1º de agosto, no Serhs Natal, em Natal, sua 52ª Assembleia Geral Extraordinária de Associados (AGE).

A governadora Rosalba Ciarlini fará abertura do evento, às 14h, destacando as ações do Estado no mercado de gás natural e da Companhia Potiguar de Gás (POTIGÁS), empresa do Governo do Estado e Petrobras, que será a distribuidora anfitriã do encontro.

Durante a Assembleia, que reúne os presidentes das maiores distribuidoras de gás natural do país, serão eleitos os representantes da região Nordeste para o Conselho de Administração da entidade e também será apresentada aos associados a renovação do Acordo de Cooperação  Técnico-Científica assinado com o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial – Departamento Nacional (SENAI-DN), representado pelo SENAI-RJ, com o objetivo de desenvolver e ampliar a capacitação e qualificação da mão de obra para o mercado de gás natural em todo o país.

Entre os itens da pauta da 50ª AGE da ABEGÁS estão ainda o debate acerca da competitividade do gás natural frente aos energéticos concorrentes e as ações realizadas pela associação junto ao Congresso Nacional pelos projetos de lei e medidas provisórias relativas à indústria do gás natural.

Fonte: Assessoria


Noite de Natal

Em por Ricardo Rosado
Atualizado em 28 de julho às 10:59


_J4A2229Noite de domingo em Natal, dia 27/07/2014.

Suas luzes e suas sombras.


Bom dia amantes da alvorada

Em por Ricardo Rosado
Atualizado em 28 de julho às 09:24


_J4A2218_2 _J4A2219 _J4A2219_2 _J4A2220_J4A2221 _J4A2221_2Bom dia amantes da alvorada. O amanhecer de Natal.


O Facebook é um palanque

Em por Ricardo Rosado
Atualizado em 28 de julho às 05:14


Juntos, os três principais candidatos à Presidência da República, Dilma Rousseff (PT), Aécio Neves (PSDB) e Eduardo Campos (PSB), têm pouco mais de 2,7 milhões de seguidores no Facebook.

Pode parecer muito, mas o número de fãs não chega nem perto, por exemplo, dos 19,5 milhões do primeiro-ministro da Índia, Narenda Modi, considerado o mais recente caso de sucesso de um político que conseguiu transformar “curtidas” em vitória nas urnas.

Para tirar proveito da maior rede social do mundo – são 1,32 bilhão de usuários –, desde o ano passado as campanhas para presidente, governadores e senadores recebem treinamento de especialistas do Facebook.

Em entrevista ao site de VEJA, o diretor de Relações Institucionais da empresa, Bruno Magrani, conta o que o político deve e o que não deve fazer na rede para atrair os 87 milhões de brasileiros que navegam na rede de Mark Zuckerberg.

A influência das redes sociais aumentou consideravelmente de uma eleição para outra. Como o Facebook lida com isso?

A política sempre foi social e o processo político de discussão sobre programas de governo e sobre as decisões importantes para a sociedade sempre foram um processo essencialmente social. Hoje em dia, as pessoas interagem não só nas praças públicas ou nos cafés, mas têm conversas e debates sobre questões políticas na internet. A internet é a nova praça, onde as pessoas se reúnem e debatem. O Facebook é uma plataforma, mas no final das contas as pessoas estão se conectando com seus amigos, com os candidatos, com outros eleitores.

Como o Facebook está engajado nas eleições?

No ano passado, o Facebook descobriu que o termo eleições foi o segundo mais mencionado entre os usuários no mundo todo. Havia várias eleições ocorrendo ao redor do mundo e o tema estava logo atrás do papa Francisco e logo à frente do bebê real. A partir disso vimos que as pessoas estavam interessadas em falar sobre política no Facebook, em discutir o tema e em se informar sobre os candidatos. Portanto, havia uma necessidade de tornar o serviço ainda mais útil para o nosso usuário e de desenvolver ações relacionadas à política. Identificamos oportunidade para explicar como a plataforma funciona e fizemos esses treinamentos com políticos e suas equipes, trazendo a Katie Harbath [especialista global do Facebook para campanhas políticas] para o Brasil. Fizemos treinamentos e falamos com todos os partidos.

O que o candidato deve fazer no Facebook para conquistar seguidores?

Recentemente, nas eleições na Índia, foi eleito o primeiro-ministro Narendra Modi, que fez um uso enorme do Facebook. Hoje ele é um dos políticos que tem mais fãs na rede em todo o mundo. No Brasil, as equipes dos políticos nos procuraram com a curiosidade de saber o que é mais eficaz no Facebook. No Brasil, por exemplo, 87 milhões de usuários usam a ferramenta pelo menos uma vez por mês. Desses usuários, 63 milhões acessam a partir do celular. Por isso, quando o político pensa em colocar conteúdo na página dele, tem que pensar em conteúdo sucinto, considerar que o eleitor está vendo o conteúdo em uma tela pequena e, por isso, o ideal é dar enfoque no uso de imagens. O uso de vídeo também gera um engajamento alto e atrai o usuário-eleitor. Para os políticos recomendamos também proporcionar um diálogo, ter uma via de comunicação efetiva com os eleitores para permitir essa aproximação.

Nesses vídeos e mensagens que o político publica em sua página pessoal, o que o eleitor em potencial prefere?

Temos uma lista de melhores práticas para políticos no Facebook e percebemos, depois de considerar eleições em outros países, que o sucesso está muito associado a ter uma postura mais informal, mostrar imagens de bastidores. Para se aproximar do eleitor, o político tem que falar a linguagem dele e tem que aparecer em fotos e situações que interessem as pessoas. O eleitor gosta de saber, via Facebook, como é o dia na vida de um deputado, por exemplo. Pode ser uma coisa mais familiar ou a informação de que ‘estou chegando para o trabalho’. Não há uma fórmula única. Um político da Austrália, por exemplo, usou uma iniciativa chamada “Day in the Life” [Um dia na vida] em que a equipe de campanha programava uma série de publicações na página do candidato ao longo do dia contando como era o dia a dia do político, a que horas ele acordava, como era o café da manhã, as reuniões de que participava, tudo na linha de aproximar o eleitor do político. O caso da Austrália poderia ser replicado no Brasil e seria considerado uma boa prática para atrair o eleitor. Se um candidato corre maratona no fim de semana ou se tem alguma habilidade específica, deve publicar também.

O que o político não deve fazer para comprometer os amigos, curtidas e comentários que já conseguiu?

Não atualizar periodicamente a página vai afugentando o eleitor. O Facebook detectou, por exemplo, que o engajamento cresce quando o político mostra que é ele mesmo que está usando a ferramenta, e não assessores. As pessoas não esperam que o político esteja o dia inteiro cuidando da página dele Facebook, mas sempre que ele puder o recomendável é fazer sessões conhecidas como Face-to-Face, quando o político anuncia que, por vinte minutos ou meia hora, estará ali na página dele para responder às perguntas. Nesses casos, o engajamento vai lá em cima. Temos diversos estudos de caso no mundo que mostram que o engajamento é muito alto quando o político mostra para seus seguidores que ele está pessoalmente respondendo às perguntas. Sempre que o eleitor sente que tem a atenção dedicada a ele, responde à altura.

Em que medida o desempenho de um político no Facebook com essas dicas pode influenciar no resultado das eleições?

Não temos como afirmar qual é a influência específica do post de um político no Facebook no resultado do processo eleitoral. Mas nessas eleições a gente espera que o Facebook permita conectar as pessoas ainda mais, seja eleitor com candidato, seja amigo com amigo, e que as pessoas tenham mais acesso à informação e possam aprender as diferentes propostas de políticos e entender os programas de governo para poderem tomar suas decisões da melhor forma possível.

Como o Facebook vai lidar com a publicação e remoção de conteúdo ofensivo nas eleições?

Temos as nossas políticas de privacidade e só removemos conteúdo de maneira espontânea e sem provocação se ele violar os termos de uso [como usar a ferramenta para “qualquer ato ilegal, equivocado, malicioso ou discriminatório”, para “qualquer informação pessoal falsa” e para “criar uma conta para ninguém além de si mesmo sem permissão”]. Isso vale para bullying e difusão de ódio, por exemplo. De resto, nossa política é cumprir com as decisões da justiça eleitoral e estamos absolutamente preparados para seguir as ordens. Temos uma equipe global dentro do Facebook, a Community Operations, que é responsável, 24 horas por dia, sete dias por semana, por avaliar todas as denúncias e garantir que todas as ordens judiciais sejam cumpridas.

Nessas eleições houve denúncias de perfis falsos no Facebook para ataques a candidatos. Como o Facebook vai combater essa prática?

Dentre as nossas políticas, temos uma postura muito séria em relação a perfis falsos. Se alguém faz uma denúncia sobre um perfil e ele tem características de ser um perfil falso, a equipe de análise do Facebook notifica o usuário para que ele comprove sua identidade real. Se comprovou que é falso, a gente retira do ar a página. No caso de eventuais abusos da militância virtual, vamos analisar caso a caso e agir se houver qualquer atitude contrária às políticas do Facebook. Nos outros casos, a instituição que está melhor posicionada para fazer essas decisões é o Poder Judiciário e nossa posição será a de aguardar a decisão judicial.

Treinar políticos será uma atitude contínua do Facebook e ocorrerá também nas eleições para prefeito em 2016?

Sim. A política e o uso do Facebook por políticos são uma questão prioritária. Como vimos que isso é importante para usuários da plataforma, temos o dever de explicar sempre como funciona para que as pessoas, candidatas ou não, achem o serviço cada vez mais útil.

Deu em Veja

Por Laryssa Borges, de Brasília


Inflação volta a comandar o debate eleitoral

Em por Ricardo Rosado
Atualizado em 28 de julho às 05:08


106325Vinte anos depois do Plano Real, a inflação volta ao centro do debate eleitoral.

Decisiva nas vitórias do PSDB sobre o PT em 1994 e 1998, a estabilidade econômica ainda serviu ao discurso do medo ensaiado pelos tucanos em 2002, que não impediu a vitória de Luiz Inácio Lula da Silva. Nas duas eleições seguintes, ficou em segundo plano.

Parecia consolidado o consenso em torno da política de metas de inflação do Banco Central. Já no início da campanha presidencial deste ano, o tema retoma o protagonismo.

A inflação não sai da boca dos candidatos, sobretudo os desafiantes de Dilma Rousseff (PT), municiados por pesquisas e marqueteiros que já perceberam como as remarcações de preços voltaram a incomodar.

Palavras como “carestia” e “arrocho” voltaram aos discursos. Aécio Neves (PSDB) e Eduardo Campos (PSB) não perdem uma oportunidade de acusar Dilma de negligenciar o combate à inflação para tentar impulsionar a economia com gastos públicos descontrolados enquanto salários são corroídos.

A petista responde que não há descontrole inflacionário e fiscal, exibindo índices no intervalo de tolerância da meta oficial e superávit nas contas, pelo menos no papel. E devolve a acusação dizendo que as “medidas duras” defendidas pelo tucano e a revisão da meta de inflação prometida pelo socialista gerariam desemprego.

Economistas ouvidos pelo GLOBO concordam: os números mostram uma dificuldade do governo para domar a alta dos preços, mas não há risco de hiperinflação.

Pelo 5º ano consecutivo, o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) vai chegar a dezembro muito próximo do teto do intervalo de tolerância de dois pontos porcentuais da meta oficial de 4,5%.

A previsão é do governo, que estimou na semana passada uma inflação de 6,2% no fim deste ano.

As estimativas do mercado são mais pessimistas, já que, em junho, o indicador passou da trave quando se considera o resultado acumulado em 12 meses: 6,52%. Na prévia do índice de julho (IPCA-15), o dado mais recente do IBGE, a inflação acumulada em 4,14% nos primeiros sete meses de 2014 praticamente esgota o centro da meta para o ano.

Acontece que o impacto no orçamento das famílias é maior. Índice oficial da inflação, o IPCA é uma média do comportamento de todos os preços.

A alta tem sido maior nos alimentos e nos serviços. A feira livre, o cabeleireiro e o transporte configuram o que fica mais caro.

O brasileiro começa a ver com mais frequência reajustes acima da inflação, que foi de 5,91% em 2013. Foi o caso de restaurante, plano de Saúde e mensalidade escolar, que subiram mais de 10% em 2013. Na feira, a tangerina subiu 73%.

A farinha de trigo, 25%. A alta sazonal de alimentos permite trocá-los por outros, mas substituir o aluguel dá mais trabalho. Como os serviços são o componente mais resistente da inflação (em 2013, subiram 8,7%), o cidadão sente um retrocesso no bem-estar conquistado pelo aumento da renda e do emprego.

- Faz uns três meses que passei a gastar mais para comprar as mesmas coisas na feira. Eram R$ 100 por semana e agora são R$ 150. Sou diabética e consumo, por recomendação médica, diariamente frutas e verduras. Não posso parar. Mas já tem laranja custando R$ 10 e banana, R$ 6 – conta Antônia Amaral, na Glória.

- Vivemos um tipo de inflação que afeta diretamente o bolso do consumidor – afirma Bruno Fernandes, economista da Confederação Nacional do Comércio: – Não há dúvidas de que as pessoas têm hoje uma percepção muito mais forte da inflação do que nas últimas eleições.

Deu em O Globo


Prefeitos do DEM apoiam a chapa Henrique/Wilma

Em por Ricardo Rosado
Atualizado em 28 de julho às 05:03


unnamedem2 unnamedem3Os candidatos da coligação “União Pela Mudança” ao Governo e Senado, Henrique Alves, e Wilma de Faria, respectivamente, receberam adesões de lideranças ligadas ao presidente do DEM, o senador José Agripino, na manhã deste domingo (27).

Passam a defender a partir de agora o voto casado nos líderes do PMDB e PSB os prefeitos Esdras, de Jacanã (DEM) e Dr Thadeu, de Luiz Gomes (PPS).

A declaração dos apoios aconteceu na residência do líder democrata, com participação do deputado federal Felipe Maia.

“A cada dia que recebemos mais adesões, temos a certeza de que, além de todos estarem se convencendo de que somos o melhor para o RN, temos a confirmação de que todas as lideranças desta aliança estão comprometidas com este projeto de resgate do estado. Volto a dizer: esta união está cada dia mais consistente”, pontua Wilma.

Logo após, Wilma e Henrique se uniram ao ministro Garibaldi Filho (PMDB), que já participava do lançamento da candidatura de Adenubio Melo (PSC) à Assembléia Legislativa, em reunião com membros de várias denominações evangélicas, na ZN de Natal.

Fonte e fotos: Assessoria


Aliança PSD/PT faz caminhada na Redinha

Em por Ricardo Rosado
Atualizado em 28 de julho às 04:57


unnamedr unnamedr1Os moradores e banhistas da praia da Redinha, Zona Norte de Natal, receberam na manhã deste domingo (27) a coligação “Liderados pelo Povo”, com Fátima (PT) senadora e Robinson (PSD) governador, representado por sua mulher, Julianne Faria.

A caminhada começou pelo Mercado Público da Redinha.

A deputada e candidata ao Senado fez o percurso ao lado dos candidatos a deputado federal Adriano Gadelha (PT), Hugo Manso (PT) e Wangle (PCdoB).

Fátima cumprimentou comerciantes, lideranças e a população que frequenta a praia.

Fonte e foto: Assessoria


Agenda de Henrique

Em por Ricardo Rosado
Atualizado em 28 de julho às 04:49


Agenda de Henrique, em Natal, segunda-feira (28):

9h – Reunião com lideranças no comitê Casa 15, Lagoa Nova

16h – Caminhada no conjunto Igapó, Zona Norte

19h – Reunião com lideranças do vereador Felipe Alves, Zona Norte