Veja se você conhece alguns dos corrompidos pela Odebrecht

Em por Ricardo Rosado
Atualizado em 26 de setembro às 16:02


Deu no Antagonista

A PF trabalha agora para identificar quem são os beneficiários da propina paga pela Odebrecht:

a) Pagamentos de vantagem indevida aos codinomes TURISTA, LAMPADINHA, INIMIGO, DOCE relacionado a “Despesas Campos”;

(b) Pagamento de vantagem indevida ao codinome CASA DE DOIDO, relacionado a obras do metrô de Ipanema, do Rio de Janeiro/RJ. Há menção de que o fato foi autorizado por Marcelo Bahia Odebrecht;

(c) Pagamentos de vantagem indevida ao codinome GUERRILHEIRO, cujo autorização foi expressamente dada por Marcelo Bahia Odebrecht;

(d) Retificação de pagamentos de vantagem indevida autorizada expressamente dada por Marcelo Bahia Odebrecht e vinculadas a obras do Porto de Laguna;

(e) Pagamentos de vantagem indevida ao codinome OLHO, provavelmente referente a serviços da Odebrecht relacionado a processamento e tratamento de lixo em São Paulo. Há menção expressa de que a definição do codinome foi tratada com Marcelo Bahia Odebrecht

(f) Pagamento de vantagem indevida ao codinome BAIANINHO;

(g) Pagamentos de vantagem indevida aos codinomes GORDO e MAGRO;

(h) Pagamentos de vantagem indevida atrelados a obras da Linha 4 do metrô de São Paulo/SP, solicitados pelo Diretor de Contrato das obras Marcio Pellegrini;

(i) Pagamentos de vantagem indevida ao codinome ATRAVESSADOR, relacionados a obras da Odebrecht Ambiental em Rio das Ostras, havendo menção a autorização do codinome pelo próprio Marcelo Bahia Odebrecht;

(j) Pagamento de vantagem indevida ao codinome PROXIMUS;

(k) Pagamentos de vantagem indevida aos codinomes DUNGA e VOADOR, cuja autorização foi expressamente dada por Marcelo Bahia Odebrecht;

(l) Pagamentos de vantagem indevida aos codinomes BOLINHA e VELHINHOS, vinculados a obras da Odebrecht de construção de presídios, penitenciárias e casas de custódia no Rio de Janeiro, sendo que houve autorização expressa de Marcelo Bahia Odebrecht;

(m) Pagamentos de vantagem indevida aos codinomes SHARK, RASPUTIM, BOLINHA, PAVÃO, LOCAL, relacionados a obras do metrô de Ipanema, do Rio de Janeiro/RJ;

(n) Pagamentos de vantagem indevida aos codinomes ALEMÃO, FIGUEIRENSE, LAGOA, OPERADOR LOCAL e OPERADOR, vinculados aos recebimentos pela Odebrecht em virtude de obras do Porto de Laguna, e também aos codinomes BETÃO, ZAMBÃO, LEGISLADOR e OPERADOR, em virtude de recebimentos por execução de obras no Porto do Rio Grande

(o) Pagamento de vantagem indevida ao codinome BARBA NEGRA, relacionado a obras do Aeroporto Santos Dummont;

(p) Pedido de autorização a Marcelo Bahia Odebrecht para pagamentos de vantagem indevida ao codinome BARBA VERDE tendo em vista a necessidade de se aprovar estudo de impacto ambiental para obra do Aeroporto Santos Dummont. Há menção expressa de haverá também pagamento de vantagem indevida por parte das empresas Carioca e Construcap. Além disso, Benedicto Barbosa da Silva Júnior informou Marcelo Bahia Odebrecht que iria lhe apresentar, para fins de aprovação, quais seriam os pagamentos devidos pela empresa para a conquista do contrato para execução de obras do aeroporto;

(q) Pagamentos de vantagem indevida aos codinomes SHARK, RASPUTIM, BOLINHA, PAVÃO, GORDO/MAGRO, relacionados a obras do metrô de Ipanema, do Rio de Janeiro/RJ;

(r) Autorização expressa de Marcelo Bahia Odebrecht para pagamentos de vantagem indevida que seriam devidos pela negociação ilícita realizada pela Odebrecht para publicação de edital com condições que a favoreciam para modernização do autódromo de Jacarepaguá e obras das piscinas olímpicas do Pan- Americano de 2007. Há menção de a propina seria arcada em conjunto com a Construtora Camargo Corrêa;

(s) Pagamentos de vantagem indevida ao codinome CASSINO, cuja autorização foi expressamente dada por Marcelo Bahia Odebrecht e vinculados a obras no município de Rio das Ostras;

(t) Pagamentos de vantagem indevida aos codinomes ANIMAL e TRÊS, cuja autorização foi expressamente dada por Marcelo Bahia Odebrecht e vinculados a obras da Terceira Perimetral de Porto Alegre/RS;

(u) Pagamentos de vantagem indevida aos codinomes ORIENTADOR, OPERADOR LOCAL e OPERADOR, vinculados aos recebimentos pela Odebrecht em virtude de obras do Porto de Laguna;

(v) Pagamento de vantagem indevida ao codinome;

(w) Pagamentos de vantagem indevida aos codinomes SHARK, RASPUTIM e PAVÃO, relacionados a obras do metrô de Ipanema, do Rio de Janeiro/RJ;

(x) Pagamentos de vantagem indevida aos codinomes SHARK, GANSO, PAVÃO, LOCAL, GORDO/MAGRO relacionados a obras do metrô de Ipanema, do Rio de Janeiro/RJ;

(y) Pagamento de vantagem indevida ao codinome CONSULTOR;

(z) Pagamentos de vantagem indevida aos codinomes TIPOGRAFIA, ORIENTE e SANTO;

(aa) Pagamentos de vantagem indevida aos codinomes CASA, IBIRAPUERA, SERROTE;

(bb) Pagamento de vantagem indevida ao codinome SERROTE, com expressa previsão de que os pagamentos estão vinculados a recebimento pela Odebrecht pela liberação de recursos pela execução de alguma obra não identificada;

(cc) Inúmeros pagamentos de vantagem indevida aos codinomes SHARK, CASA DE DOIDO, PAVÃO, RASPUTIM, BOLINHA, LOCAL e GORDO/MAGRO todos relacionados a obras do metrô de Ipanema, do Rio de Janeiro/RJ;

(dd) Pagamentos de vantagem indevida atrelados a obras da Linha 4 do metrô de São Paulo/SP, solicitados pelo Diretor de Contrato das obras Marcio Pellegrini ao agente identificado pelo codinome;

(ee) Pagamentos de vantagem indevida ao codinome CASSINO, cuja autorização foi expressamente dada por Marcelo Bahia Odebrecht e vinculados a obras no Hospital Geral de Guarus no Município de Campos dos Goytacazes/RJ

(ff) Pagamentos de vantagem indevida aos codinomes PROXIMUS, CASA DE DOIDO, SASQUAT e DAT BY DAY, cuja autorização foi expressamente dada por Marcelo Bahia Odebrecht e vinculados a obras de algum programa social implementado no Rio de Janeiro/RJ


Raniere diz que Carlos Eduardo será candidato a governador em 2018

Em por Ricardo Rosado
Atualizado em 26 de setembro às 14:12


Por Allan Darlyson

Líder do prefeito Carlos Eduardo (PDT) na Câmara Municipal de Natal, o vereador Raniere Barbosa (PDT) lançou, durante mobilização política a favor da sua candidatura, o nome do gestor, que é candidato à reeleição, para disputar o Governo do Estado em 2018.

“Se Carlos Eduardo for eleito no primeiro turno, não tem o porquê de a gente desconsiderar. É candidato ao Governo do Estado, indiscutivelmente. E se eu for o primeiro colocado, serei candidato a prefeito na próxima, indiscutivelmente”, declarou o vereador.

As palavras de Raniere se opõem ao que o prefeito declarou antes das convenções, quando o PMDB se reunia para decidir quem seria o vice dele. Carlos Eduardo afirmou que, se reeleito, cumprirá o mandato até o final de 2020.

Com os planos externados por Barbosa, o eleitor natalense começa a observar o vice da chapa de Carlos Eduardo, deputado estadual Álvaro Dias, que será o prefeito a partir de 2018, caso o pedetista renuncie para ser candidato a governador.


Em nota, PF diz que Ministro não sabia da operação que prendeu Palocci

Em por Ricardo Rosado
Atualizado em 26 de setembro às 11:03


A Polícia Federal divulgou há pouco uma nota oficial, negando que o Ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, não foi informado sobre a operação de hoje que prendeu o ex-ministro da Fazendo, Antonio Palocci.

Moraes, em comício na cidade de Ribeirão Preto, neste domingo, ao falar sobre a Lava Jato, chegou a afirmar que “vem mais”por aí. Como se soubesse o que estava sendo preparado pela PF.

A prisão de Palocci foi autorizada pelo Juiz Sérgio Moro há uma semana e a PF fez o pedido há um mês.

Leiam a Nota da PF:

Em relação à 35ª fase da Operação Lava Jato, a Polícia Federal esclarece que adotou o mesmo padrão de compartimentação e cuidado com a informação que caracterizaram as quase 500 operações deflagradas este ano.

Somente as pessoas diretamente responsáveis pela investigação possuem conhecimento de seu conteúdo.

Da mesma forma, as datas de desencadeamento das operações especiais de polícia judiciária são acompanhadas apenas pelos responsáveis pela coordenação operacional.

Como já foi amplamente demonstrado em ocasiões anteriores, o Ministério da Justiça não é avisado com antecedência sobre operações especiais. No entanto, é sugerido ao seu titular que não se ausente de Brasília nos casos que possam demandar sua atuação, não sendo informado a ele os detalhes da operação.

A Polícia Federal, instituição do Estado brasileiro, reafirma sua atuação de acordo com o Estado Democrático de Direito.


Palocci: o homem de R$ 211 milhões

Em por Ricardo Rosado
Atualizado em 26 de setembro às 10:53


Ao prender o ex-ministro Antonio Palocci, a força-tarefa da Operação Lava-Jato poderá jogar luz sobre suas milionárias operações financeiras.

O petista foi homem forte nos governos Lula e Dilma.
O ex-ministro, registrado sob a alcunha “Italiano” na planilha de propinas da Odebrecht, tornou-se uma verdadeira máquina de ganhar dinheiro.
Palocci foi objeto de comunicações de operações financeiras no valor de 211 milhões de reais entre 2010 e 2015. Esses relatórios foram produzidos pelo Conselho de Controle de Atividades Financeiras (COAF), órgão do Ministério da Fazenda que investiga lavagem de dinheiro.
A maior parte do dinheiro foi movimentada através da empresa do ex-ministro, a Projeto Consultoria Empresarial e Financeira.

O COAF enumerou operações suspeitas de Palocci em pelo menos 11 comunicações enviadas ao Ministério Público, à Polícia Federal e à CPI do BNDES. A prisão de Palocci nesta segunda-feira poderá arrastar várias empresas para o escândalo.

A força-tarefa da Operação Lava-Jato conclui que há indícios de que Palocci atuou de forma direta “a propiciar vantagens econômicas” à Odebrecht nas mais diversas áreas de contratação com o poder público, beneficiando-se de “vultosos valores ilícitos”.

O ministro teria recebido propina nas tratativas para a aprovação do projeto de lei de conversão da Medida Provisória 460/2009, sobre benefícios fiscais, no aumento de linha de crédito para a construtora junto ao BNDES e ainda na intermediação da aquisição de 21 navios-sonda para o pré-sal. A Odebrecht, no entanto, não aparece nos relatórios do COAF como uma das empresas que depositaram dinheiro para Palocci.

O relatório do COAF cita vários outros nomes de empresas e pessoas jurídicas, que agora poderão ser definitivamente levados para o epicentro do escândalo.

Entre os remetentes de recursos para a conta bancária da empresa de Palocci estão o empresário Edson de Godoy Bueno, ex-dono da Amil, com 20 milhões de reais, e a montadora CAOA, com 5,3 milhões de reais.

A CAOA está envolvida em um esquema de compra de medidas provisórias e já vinha sendo investigada nas operações Acrônimo e Zelotes.

Para prender Palocci, a força-tarefa fez uma análise detalhada de e-mails e anotações registradas nos celulares apreendidos, mostrando evidências de que o ex-ministro contava com o auxílio de seu então assessor Branislav Kontic para atuar em favor da Odebrecht, entre 2006 e 2013, interferindo em decisões do governo.

A atuação de Palocci e Branislav ocorreu mediante recebimento de propinas pagas pela Odebrecht dentro do contexto do “caixa geral” de recursos ilícitos que se estabeleceu entre a construtora e o PT.

Uma planilha apreendida durante a operação identificou pagamentos de 128 milhões de reais ao PT e seus agentes, incluindo Palocci. Era tanto dinheiro movimentado que em 2013 havia um saldo remanescente de 70 milhões de reais em propina, que eram administrados por Palocci, em favor do PT.

Deu em Veja


Estado de emergência na Praia do Meio

Em por Ricardo Rosado
Atualizado em 26 de setembro às 09:03


A Prefeitura do Natal decretou estado de emergência por 90 dias em toda a orla da Praia do Meio e em todos os trechos do calçadão destruídos pelo avanço do mar, em função das altas das marés, para desenvolvimento de ações de resposta, assistência à população e restabelecimento de toda a área destruída.

O decreto, assinado pelo prefeito Carlos Eduardo, foi publicado na edição do Diário Oficial do Município desta sexta-feira (23), e estabelece ainda diante da urgência da situação e com base no art. 24, IV, da Lei Nacional nº 8.666/1993, que fica autorizada a contratação emergencial pelo prazo de 90 (noventa) dias, contados da publicação do Decreto e dispensada de licitação contratos de aquisição de bens necessários às atividades de resposta ao desastre, de prestação de serviços e de obras, todos relacionados com a reabilitação dos cenários do desastre.

A decretação de estado de emergência foi adotada por causa da erosão marinha ocorrida em toda a orla do calçadão da Praia do Meio, provocada pelo avanço das marés além da normalidade e o  agravamento das condições de segurança.

Além disso, há a necessidade de proteger a incolumidade física da população, dos frequentadores em geral da Praia do Meio e a própria salubridade da orla da Praia do Meio, cuja degradação dos sistemas públicos de esgoto, saneamento e drenagem de toda a área atingida piorou excessivamente nos últimos meses, acarretando alteração intensa e grave das condições de normalidade da área e comprometendo a capacidade de resposta do Município de Natal.

Também foi considerada a necessidade urgente de realizar ações de reestabelecimento dos serviços essenciais, do sistema de iluminação pública e dos equipamentos públicos e comunitários instalados no local.

Fonte: Assessoria


Márcia Maia realiza a “Arrancada 45” em Natal

Em por Ricardo Rosado
Atualizado em 26 de setembro às 08:50


Arrancada 45 ZL_ZN (46) Arrancada1

A uma semana da eleição para a Prefeitura do Natal, a candidata Márcia Maia (PSDB) mostrou força ao comandar a “Arrancada 45”, uma carreata que reuniu dezenas de carros e centenas de pessoas entre as zonas Leste e Norte de Natal neste domingo (25).

Ao lado do advogado e vice Luiz Gomes (PEN), companheiro na chapa da coligação A Favor de Natal (PSDB-PEN-PTdoB-PP-PMB) que disputa o pleito no próximo domingo (02), Márcia iniciou a movimentação pelo bairro de Mãe Luíza.

Ladeada por candidatos e candidatas a vereador, como a ex-governadora Wilma de Faria (PTdoB) e Dickson Jr (PSDB), a caravana andou por toda a cidade.

Fonte e fotos: Assessoria


Mundo Senai será aberto na quarta feira

Em por Ricardo Rosado
Atualizado em 26 de setembro às 08:42


MUNDO SENAI

As portas de escolas do SENAI estarão abertas nesta quarta-feira (28) para que jovens, empresários, trabalhadores, dependentes e a comunidade conheçam as inovações e as diversas oportunidades de formação profissional oferecidas pela instituição.

Trata-se do evento Mundo SENAI que, no Rio Grande do Norte, terá programação nos Centros de Educação e Tecnologia Rosária Carriço (Av. Airton Senna), em Natal, e Ítalo Bologna, em Mossoró.

Serão realizadas palestras, oficinas e visitas guiadas para mostrar as opções de cursos de qualificação para o trabalho na indústria. A participação é gratuita (visite o site do MUNDO SENAI: http://www.mundosenai.com.br/ ).

A programação no Centro de Educação e Tecnologias em Construção Civil Rosária Carriço começa a partir das 8 horas com palestras, gincanas, exposições e minicursos. Haverá também a Mostra SENAI de Arquitetura, das 8h às 12h e das 14H às 21h.

Em Mossoró, no Centro de Educação e Tecnologias Ítalo Bologna, a programação também inicia às 8h, com a abertura oficial, apresentação da banda de música e o início das visitas de alunos de escolas públicas. Ao longo do dia, haverá minicursos, palestras, torneio de soldagem, apresentação de projetos integradores, ginástica laboral, rapel, exposição de arte em metal e mostra de robótica.

Fonte: Assessoria


PF prende ex-ministro Palocci em nova etapa da Lava Jato

Em por Ricardo Rosado
Atualizado em 26 de setembro às 08:40


Deu no Portalnoar

Por Folhapress

O ex-ministro da Casa Civil e da Fazenda Antonio Palocci (PT) foi preso temporariamente na manhã desta segunda-feira (26) na 35ª fase da Operação Lava Jato, em São Paulo.

A nova fase da operação, intitulada Omertà, investiga indícios de uma relação criminosa entre o ex-ministro o grupo e a empreiteira Odebrecht.

Segundo a PF, há indícios de que o ex-ministro atuou de diretamente para obter vantagens econômicas à empresa em contratos com o com o Poder Público e se beneficiado de valores ilícitos.

Entre as negociações envolvendo Palocci que a PF apura estão as tentativas de aprovação do projeto de lei de conversão da MP 460/2009 que resultou em benefícios fiscais a empreiteira baiana, aumento da linha de crédito junto ao BNDES para país africano com a qual a empresa tinha relações comerciais, além de interferência no procedimento licitatório da Petrobras para aquisição de 21 navios sonda para exploração da camada pré sal.

Um funcionário do escritório de Palocci disse já avisou o advogado dele que policiais federais estavam no local para cumprir mandado. Os policiais também foram à casa do ex-ministro, mas o local da prisão não foi divulgado pela PF. Um assessor do ex-ministro também foi preso.

Como a Folha já informou, Palocci era conhecimento internamente na Odebrecht como “italiano” e esse apelido figura em planilhas de pagamentos apreendidas pela PF em fases anteriores.

No escopo da delação premiada que a empresa negocia com a PGR e MPF, executivos da empreiteira estão detalhando a relação de Palocci com o grupo.

Cerca de 180 policiais federais e auditores fiscais estão cumprindo 27 mandados de busca e apreensão, três de prisão temporária e 15 mandados de condução coercitiva em São Paulo Rio de Janeiro, Espírito Santo, Bahia, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Distrito Federal.

Outro lado

“O nome Omertà, dado à investigação policial, é uma referência à origem italiana do codinome que a construtora usava para fazer referência ao principal investigado da fase”, diz nota da PF.

“Nos casos dos investigados para os quais foram expedidos mandados de condução coercitiva, estes estão sendo levados às sedes da Polícia Federal nas respectivas cidades onde foram localizados a fim de prestarem os esclarecimentos necessários. Os investigados serão liberados após serem ouvidos no interesse da apuração em curso.”

A Polícia Federal, o Ministério Público Federal e a Receita Federal farão uma coletiva de imprensa no auditório da PF, em Curitiba, às 10h


“Esta semana vai ter mais’, diz ministro da Justiça sobre a Lava-Jato

Em por Ricardo Rosado
Atualizado em 26 de setembro às 06:27


O ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, sinalizou neste domingo, 25, em Ribeirão Preto (SP), que uma nova etapa da Operação Lava-Jato vai ser deflagrada nesta semana. Em uma conversa com representantes do Movimento Brasil Limpo, acompanhada pelo Broadcast, serviço de notícias em tempo real do Grupo Estado, sobre o futuro da investigação e da ação conjuntas entre Ministério Público Federal e Polícia Federal (PF), Moraes disse que a Lava-Jato prosseguiria e emendou:

“Teve a semana passada e esta semana vai ter mais, podem ficar tranquilos. Quando vocês virem esta semana, vão se lembrar de mim”, disse o ministro em um evento de campanha do deputado federal Duarte Nogueira (PSDB), candidato a prefeito no município paulista.

Ao Broadcast, o ministro afirmou que a Lava-Jato é uma “belíssima operação” e o prosseguimento das investigações, com “o apoio total à Polícia Federal”, é um compromisso feito desde que assumiu o cargo.

Deu no Correio Brazliense


Ministério da Justiça explica declaração de Alexandre Moraes

Em por Ricardo Rosado
Atualizado em 26 de setembro às 06:25


Após o ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, declarar que a Polícia Federal cumpriu mandado judicial contra o ex-ministro da Fazenda Guido Mantega de forma “absolutamente discreta” e que a essa semana terá mais Operação Lava-Jato, o Ministério da Justiça soltou uma nota para explicar as declarações do chefe da pasta.

“O Ministro Alexandre de Moraes reafirmou a legalidade da atuação da Polícia Federal no cumprimento do mandado judicial de prisão do ex-ministro Guido Mantega, bem como o apoio integral à continuidade das operações”, informou a assessoria de comunicação do MJ.

Segundo o órgão, “a PF vem tendo apoio total e que, em quase todas as semanas houve operação e que, certamente, continuariam nessa semana, na próxima e enquanto houver necessidade”.

Em entrevista ao Broadcast, do Grupo Estado, o ministro declarou que a prisão de Guido Mantega “só foi revogada por um fato superveniente (posterior), desconhecido da polícia, Ministério Público e Judiciário, um fato humanitário, o que não leva a nenhum descrédito toda a operação e aquele momento da prisão”.

Durante evento de campanha do deputado federal Duarte Nogueira (PSDB), candidato a prefeitura de Ribeirão Preto (SP), Moraes disse que as pessoas se lembrariam dele quando vissem mais uma fase da Operação Lava-Jato nesta semana. “Indagado, ainda, se a continuidade das investigações e operações era compromisso do Governo Federal, o Ministro Alexandre de Moraes novamente deu essa garantia e afirmou que as pessoas lembrariam desse compromisso com a continuidade da atuação independente da Polícia Federal”, justificou a assessoria do MJ.

Deu no Correio Brazliense