Dilma terá 8 anos pra pensar onde errou

Em por Ricardo Rosado
Atualizado em 31 de agosto às 08:15


Consumado hoje o impeachment de Dilma Rousseff a ex-presidente também terá mais 8 anos de afastamento da vida pública.

Tempo suficiente para o justo e aliviado esquecimento dela pelo povo brasileiro.

Os direitos políticos dela serão cassados.

Mas ela terá tempo pra lembrar.

Lembrar  onde ela e o PT erraram.


PT quer que Dilma só saia do Alvorada à força

Em por Ricardo Rosado
Atualizado em 31 de agosto às 08:31


Após reunião em que concluíram ser irreversível o impeachment, aliados de Dilma Rousseff passaram a defender que ela somente saia do Palácio da Alvorada à força, transformando a residência oficial em “símbolo de resistência”.

A ideia era que ela entregasse o palácio 30 dias após a destituição, como prevê a lei, mas aliados radicais acham que a “ocupação” chamará a atenção do mundo para o “golpe”.

Deu em Diário do Poder


Renan vai com Temer na viagem internacional

Em por Ricardo Rosado
Atualizado em 31 de agosto às 06:58


A previsão é de 60 votos logo mais a favor do impeachment.

O Presidente do Senado, Renan Calheiros, que até agora não votou nem a favor e nem contra, deve mudar de posição.

Ele confirmou que acompanhará o Presidente Michel Temer na viagem internacional que começará pela China.

Nao vai até à China, ao lado de Temer, sem votar a favor do impeachment.


Vice de Janot renuncia

Em por Ricardo Rosado
Atualizado em 31 de agosto às 06:23


Depois de aparecer em uma manifestação em que integra um grupo de apoiadores que condena o impeachment da presidente Dilma Rousseff e classifica o processo como “golpe”, a vice-procuradora-geral da República no Brasil, Ela Wiecko Volkmer de Castilho, renunciou ao cargo nesta terça-feira.

Número dois do procurador-geral Rodrigo Janot, Wiecko foi filmada em uma gravação de 28 de junho em que aparece segurando uma faixa onde se lê “Fora Temer. Contra o golpe!”.

Deu em Veja


Campanha de Kelps ganha na Justiça e marketing ilegal de Carlos Eduardo terá que mudar

Em por Ricardo Rosado
Atualizado em 29 de agosto às 11:29


O advogado da Coligação É Possível Fazer Mais Por Natal, Caio Vitor Barbosa, conseguiu na justiça liminar para mandar corrigir programa eleitoral da coligação do Prefeito Carlos Eduardo Alves face ao programa utilizar de mecanismos de marketing que infringem a atual legislação eleitoral.

A decisão foi publicada na manhã desta segunda-feira, 29 de agosto, pela Justiça Eleitoral de Natal.

No entendimento da Coligação É Possível Fazer Mais por Natal, que foi aceito pela Justiça, o programa do Prefeito Carlos Eduardo utiliza mecanismos caros de marketing que foram repelidos nas normas vigentes para a atual eleição. Normas que foram criadas justamente para deixar o processo eleitoral mais justo e barato.

“Carlos Eduardo utilizou locução, filmagens externas e depoimentos de pessoas em um tempo muito superior aos 25% estabelecidos pela lei eleitoral. Ele sabia dos limites da nova lei. Nós sabíamos da lei. Os outros partidos sabiam da lei. O juiz avisou que a lei seria cumprida. Deixou isso bem claro quando se reuniu com os partidos nas sessões públicas para a criação da grade do programa eleitoral e, mesmo assim, a coligação milionária do prefeito insistiu em deixar a lei de lado e tentar ter vantagem sobre os outros candidatos submetendo-os à condição de menos capacitados do que o poderio econômico dele”, explica o candidato a Prefeito Kelps.

“Carlos Eduardo terá que corrigir seu programa eleitoral para a realidade. Menos marketing. Mais propostas e ideias. O programa dele, de tão rico, afrontou o que manda a lei eleitoral.”, entende Kelps.

Fonte: Assessoria


Pesquisa mostra que o povo quer o impeachment de Dilma

Em por Ricardo Rosado
Atualizado em 29 de agosto às 09:29


pesquisa istoe

Resignada com o próprio infortúnio político, a presidente afastada Dilma Rousseff acalentou uma última aspiração nos dias antecedentes à derradeira votação do impeachment: ela não gostaria de terminar como Fernando Collor, em 1992.

Cortejado por meia dúzia de auxiliares, o ex-presidente foi compelido a deixar o Palácio do Planalto por uma porta lateral, de onde seguiu até o helicóptero presidencial debaixo de vaias. Ao piloto da Aeronáutica, Collor arriscou emitir uma última ordem. Como resposta, recebeu um rotundo “não”.

Pressentira ali o epílogo de sua melancólica passagem pelo poder.

O protocolo do adeus e as circunstâncias políticas atuais podem até impedir a reprise do episódio, mas – como Collor – Dilma não deixará saudades. A maioria dos brasileiros continua a apoiar o impeachment, prefere o presidente em exercício Michel Temer a ela e vislumbra um horizonte de esperança a partir da saída da petista do poder.

São as principais conclusões de um levantamento realizado entre os dias 20 e 24 de agosto pelo instituto Paraná Pesquisas, a pedido da revista IstoÉ.

Às vésperas do último ato no Senado para o afastamento definitivo, a pesquisa exibe um cenário tétrico para Dilma. Segundo a amostragem, 65,5% dos brasileiros, se fossem senadores e tivessem de comparecer à sessão marcada para terça-feira 30, votariam pelo “Fora, Dilma”.

Apenas 29,5% diriam “não” à cassação. Confrontada em outra pergunta com a única opção em jogo durante a apreciação do impeachment, ou seja, se quem deve governar o País dali em diante é Dilma ou Temer, a maioria optou pelo presidente em exercício do PMDB: 41,2%.

A petista aparece com 21,9%. Ou seja, em 100 dias de governo, Temer já ostenta quase o dobro da preferência dos brasileiros para governar no País em relação à Dilma Rousseff.

Espontaneamente, 34,7% responderam “nenhum dos dois”.

O pior índice de Dilma foi registrado na região Sul: 17,7%. O melhor no Nordeste: 32,3%. Mesmo assim, ela não bateria Temer na região, tradicional reduto petista.

O peemedebista teria a preferência de 34,7% dos nordestinos. Já Temer obteve o melhor desempenho nas regiões Norte/Centro-Oeste: 46,2%.

Deu em Istoé


Tocha paralímpica virá a Natal

Em por Ricardo Rosado
Atualizado em 29 de agosto às 08:43


07/12/2015 - PREFEITURA DO NATAL - Escadaria de MÃe Luiza - Foto: Alex Régis/ SECOM

A chama dos Jogos Paralímpicos Rio 2016 já arde no Brasil desde esta quinta-feira (25), quando foi acesa em cerimônia realizada no Palácio do Planalto, em Brasília (DF).

No próximo dia 3 de setembro, a tocha fará revezamento em Natal, única cidade do Nordeste incluída no roteiro do símbolo paralímpico. A Prefeitura Municipal do Natal participa da coordenação local do evento.

O revezamento da tocha paralímpica começará na próxima quinta (dia 1º) e passará por cinco cidades, uma em cada região do país – além de Natal e Brasília, Belém, Joinville e São Paulo.

Em Natal, o revezamento vai acontecer a partir das 16 horas, largando do Portal do Sol Klebson Nascimento, na avenida Silvio Pedroza, e encerrando no Palácio dos Esportes Djalma Maranhão. Nos dias 6 e 7, data da cerimônia de abertura dos Jogos, o revezamento será feito no Rio de Janeiro.

Fonte e foto: Assessoria


A responsável pelo caos será julgada hoje

Em por Ricardo Rosado
Atualizado em 29 de agosto às 04:58


Um trecho do comentário de Josias de Souza mostra bem quem será julgada hoje no Senado Federal:

Entre 2013 e 2016, a economia brasileira encolheu 6,8%. O desemprego saltou de 6,4% para 11,2%.

Foram ao olho da rua algo como 12 milhões de patrícios. A Lava Jato demonstrou que o único empreendimento que prosperava no Brasil era a corrupção. A força-tarefa de Curitiba já produziu 106 sentenças condenatórias. Juntas, somam 1.148 anos, 11 meses e 11 dias de cadeia.

Em Brasília, encontram-se sob investigação no Supremo Tribunal Federal 364 pessoas e empresas.


O rito do impeachment hoje

Em por Ricardo Rosado
Atualizado em 29 de agosto às 04:32


Pelas regras acordadas entre Ricardo Lewandowski e os senadores, o dia de hoje da sessão final do impeachment será assim:

– Início previsto para as 9h.

– Dilma Rousseff terá 30 minutos para falar. Esse tempo poderá ser prorrogado por igual período, se Lewandowski assim permitir.

– Em seguida, o próprio presidente do STF poderá fazer perguntas a ré.

– Depois, cada um dos senadores inscritos terá cinco minutos para fazer questionamentos.Dilma poderá ficar em silêncio ou responder pelo tempo que achar conveniente.

– Por fim, acusação e defesa também terão cinco cinco minutos para perguntar.

Lewandowski tem dado uma hora de intervalo a cada quatro horas de sessão.

Deu em O Antagonista


Venha a Natal e ganhe uma multa

Em por Ricardo Rosado
Atualizado em 28 de agosto às 07:04


14079888_518014395061566_6393510287246319496_nDurante a semana fiz essa foto de um carro.

Nele, um adesivo diz: “Venha a Natal e ganhe uma multa”.

Achei interessante e oportuno, já que a cidade vive o clima eleitoral e a questão das multas de trânsito é tema sempre recorrente.

Para a maioria há uma “indústria da multa” instalada pela Prefeitura de Natal.

Postei a foto no facebook e a reação foi imediata.

Vejam as opiniões dos natalenses a respeito do tema, que mereceu 77 compartilhamentos:

 

8 comentários
Comentários
Riccardo Carvalho
Riccardo Carvalho E professor… É uma indústria. Não visa a educação.

Há duas semanas, percebi da pior forma possível que uma rua entre a Abel Cabral e a Maria Lacerda virou sentido único. Uma ruazinha estreita.. quase sem movimento. Nunca se viu um agente por ali.Ver mais

Walter Medeiros
Walter Medeiros Muito bem abordada essa realidade daqueles que deviam proteger a sociedade mas, ao contrário, transformam os motoristas em inimigos, armando ciladas atrás de árvores, placas e postes. A Prefeitura, por sua vez, tem uma política semelhante, pois reforçVer mais

Ricardo Rosado de Holanda

26 de agosto ·

 

Venha a Natal e ganhe uma multa. A indústria começa a afetar o turismo.

CurtirMostrar mais reações

Comentar

8 comentários
Comentários
José Aécio Olimpio Guedes

José Aécio Olimpio Guedes Amigo, no Pernambuco é bem pior, tem pardal em toda esquina e na faixa litorânea, até Alagoas, a variação de velocidade vai de 30 a 80km e quando fazemos a defesa, não recebemos nem respostas. Pra mim é uma quadrilha atuando para multar incautos. Se depender de mim, não piso mais por lá.

 

Margonisia Moreira

Margonisia Moreira · 2 amigos em comum

Pelo menos em agumas cidades tem pardal, o cidadão tem consciência que pode ser multado mas aqui em Natal/RN você recebe a multa um ano depois, sem imagens do seu erro apenas uma “observação do guarda”. E ai, será que realmente foi cometida tal multa?Ver mais

 

Carlos Alfredo de Morais

Carlos Alfredo de Morais é a única política pública da PMN em plena atividade …ou alguém aponta outra?

 

Jacson Damasceno

Jacson Damasceno Quero um adesivo desses. Não sou imprudente, pago tudo direitinho, odeio correr no trânsito, e paguei quatro multas para ter meu documento este ano. Mais de trezentos reais. Nunca havia passado por isso.

 

Leandro Marques

Leandro Marques Em Natal, isso é cômico. Dá na cara que Rio Grande do Norte está na miséria, claro que com exceções, políticos, governantes em geral que na maioria das vezes “furam” o olho do trabalhador para o sustento das “ostentações” e acharam nas multas uma ótima opção de geração de verba.

 

Pedro Melo

Pedro Melo Venha para são Paulo que você vai receber várias,!!!!