Não é bonito

Em por Carlos Magno
Atualizado em 14 de setembro às 15:58


bonitp
Todo dia me deparo com um monte de gente achando “bonito” se foder profissionalmente.
Postam isso nas redes sociais e ganham solidariedade de uma horda de outros, que como diz o filósofo Falcão, “Acham bonito ser feio”.

As profissões que mais s lamentam nas redes sociais são as que na verdade poderiam da o exemplo contrário.
Levante a mão aí quem não tem nenhum jornalista que reclama o tempo todo do salário, horários absurdos e falta de motivação.
Agora pode levantar a mão quem não tem pelo menos 30 professores colocando posts comparativos entre outras profissões e exaltando a importância da sua atividade.Ok. Você levantou a mão duas vezes, certo?
Todo mundo vai levantar a mão duas vezes porque isso é uma constante que inverte completamente os valores e ninguém se dá conta.

Não é “bonito” nem tão pouco merece aplausos ser escravo do trabalho. Não é legal dizer que não tem “vida” porque não há tempo para isso.
Todo mundo deve ter tempo para si mesmo e isso é o básico para uma vida saudável.

Outro dia perguntei a um amigo se tinha assistido a alguma série legal ou algum filme para indicar.
O tom da resposta me fez parecer um vagabundo, pois eu tinha tempo de ver alguma coisa por puro prazer e ele não, pois era uma pessoa muito mais atarefada que eu.
Na verdade isso não tem a ver com tempo. Tem a ver com prioridades e uma necessidade infinita de ganhar suporte de outros por algo que está errado.
Que triste deve ser a vida dessa pessoa…que não tem tempo para viver as coisas boas. Só as as obrigações.
Deve ser o mesmo que passar a vida comendo só as beiradas do pão de forma. A vida não são as beiradas do pão, gente! A vida é poder comer só o miolo!Há algum tempo os jornalistas e professores me chama a atenção pela apatia com o mundo.
Reclamam, estrebucham e fazem o maior auê quando a solução está sempre na mão deles.
O mundo mudou, a comunicação mudou, a educação mudou (e está mudando) e se você não mudar junto SE FODE!

Não há jornal para todo jornalista nem escola para todo professor.
Não há vaga para todos que se formam e isso foi e será sempre uma realidade, pois o número de formandos sempre será maior que a necessidade de mercado.

Reclamar o dia todo não é bonito!
A informação hoje é aberta e te deixa livre para construir novos rumos.
Crie projetos, sites, portais, sites colaborativos. Escreva livros, biografias, crie revistas, jornais e documentários. O seu universo é vasto, Jornalista!
Senhores professores, ensinem de outras formas, criem soluções pedagógicas e se levantem da cadeira.
Desenvolvam artigos, publiquem textos, ensinem em casa ou pela internet.

A esta altura todos os jornalistas e educadores que se enquadram no perfil devem estar me mandando para a puta que pariu. Mas tudo bem. Já é bem legal arrancar uma reação sem memes-feitos dessa galera.

Fui publicitário por mais de 15 anos e fazia a mesma coisas. Reclamava e sempre voltava com a cabecinha baixa para mais uma sala de criação infeliz com horário de entrada mais nunca o de saída.
Eu achava isso bonito. Eu achava isso massa!
Na verdade eu estava repetindo um padrão que só fazia bem para o chefe. Este sim ficava sempre contente com a minha visão melancólica e até poética da minha situação de escravidão.

Eu não estava feliz… e mudei.
Fiz História mas nunca lecionei. Fiz Multimídia mas nunca projetei nada na área. Cursei Marketing por dois anos e aí tive real ideia de que estava no lugar errado.
Engoli alguns anos a situação e fiz como a Joelma: Carreira Solo.

Você não É nada. Você ESTÁ alguma coisa.

Corre que ainda dá tempo de pegar esse busão lotado de gente que passou da parada.
Trabalho é passageiro. Mas o motorista pode ser você!

Comentários

Deixar uma Resposta