Sobre fotos e arco-íris

Em por Carlos Magno
Atualizado em 28 de junho às 14:25


blog
…e a Internet ficou completamente cheia de cores e enfeitada de “arcos coloridos”. Ao contrário do acontecido nas eleições passadas, a surpresa foi positiva.
Como não apoiar meus amigos gays? Eu gosto de amigos felizes e em muitos casos a felicidade deles passa por assumir legalmente o parceiro.

Eu preciso de gays, lésbicas e transgêneros na minha vida. Preciso bastante na verdade.
Eu não consigo me lembrar de um mundo sem os desenhos fantásticos do Laerte, as letras e as musicas de uma Cássia Eller ou de um Cazuza.
Que mundo sem graça seria este?
Que chato seria viver sem a máquina de decifrar códigos de Turing… que viraria este computador que você usa agora?

As minhas referências culturais não seriam as mesmas sem eles.
Não imagino um mundo sem Morissey e os Smiths escorrendo pelos alto-falantes do carro nas viagens de fim de semana.

Onde estariam as gargalhadas proporcionadas pelos Jim Parsons, Neil Patrick Harris e Marco Naninis que andam por aí em suas “Grandes Famílias”?
Que chato seria o cinema sem Almodóvar, sem os irmãos Wachowski dando nós na minha cabeça ou Ian Mclean arrepiando em tudo que faz.
FALSE SPOILER ALERT
(Gandalf com certeza sorriria muito mais se assumisse seu lance com Aragorn e o Magneto certamente seria melhor pessoa se pudesse assumir seu namoro com o Fera).

Ian Thorpe é  gay e não vai nadar mais devagar por isso.
Até a Thammy Gretchen, Bicha Gaga e Leão Lobo têm sua importância. Eles são responsáveis pelo…. pela… Vamos deixar esses três pra lá.

O que seria de mim sem os gays?
Teria uma lista de amigos “faltosa”, uma visão sobre arte com lacunas, uma percepção musical incompleta.

Não interessa se alguém ama outra pessoa do mesmo sexo, do sexo oposto ou que seja assexuado.
Não vem ao caso se o escolhido para partilhar a vida é uma girafa ou uma latinha de Coca-Cola Light.

O que interessa é ver gente feliz e colorida por todo lugar.
Amar é bom demais…
Amor é um direito que precisa ser LEGAL.
Sim, o Brasil já havia aceitado a união homoafetiva em todos os cartórios nacionais em 2013, mas com certeza o peso do EUA é bem maior na balança quando se trata de uma assunto desta magnitude. Aceitem que dói menos.

Mas se você não tem amigos gays, não acha justo todos terem direitos iguais e é daqueles haters  que criticam até se o avatar do amigo é colorido…
Cara, vai tomar no cu!
#lovewins


Comentários

Uma Resposta para “Sobre fotos e arco-íris”

  1. Rogério Gomes de Melo

    Cara, curti demais!

    Responder

Deixar uma Resposta